quinta-feira, 23 de outubro de 2008

Metapoesia Temporal

Palavra... Verso... Pedras...
(Fúria sobre o telhado do ser)
Buracos abertos
escorrem
Cachoeiramente

O líquido tempesto
Represalmente Sentimentado
Inundará um papel

Um comentário:

Emanuel Menim disse...

bom isso, cara! mas não é pra qualquer um entender.
Gostei. Menos universal, mas brilhante.

abraço