quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Amor Náufrago III

Não poderia me alucinar e me apaixonar
Sem narrar

moldar tudo pela criação
Metamorfosear o real improvável e chato
em mundo alucinático de fantasia verdade
Meu espirito no imaginário é outro
Ela é na criação, real possível

O nós de cores cênicas e explosivas
Derramou-se e corroeu a mascara do "real"

Somos de algum jeito amantes
em algum lugar que não "esse"

Um comentário:

Kafarnak disse...

coração
pensante

mente
amante

narrativa
alucinante.