sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Somente um Trovão

Não te aflijas, nem te desesperes
diante do infortúnio
Pois o fato dos sonhos
não serem palpáveis
em momento algum
Diz serem inatingíveis ou inalcansáveis.
Então concentra-te no que tu queres,
com o grande almejo,
de paulatina forma
eles virão.
Agora sossega
e recosta a cabeça no travesseiro.
Querendo e não contendo-te
em chorar,
chora!
Não foi nada, somente um trovão!
Lembra-te que as mesmas negras
nuvens de tempestades
jorram água cristalina;
Em meio a pedras e escombros,
o mesmo tropeço
gerador de um lago de lágrimas
revela um vale de ombros

ZARCE

(poema de um grande amigo, poeta e louco, cézar)

Um comentário:

Ariana Guides disse...

haha

conheço o Zarce!